fbpx

Internet mais rápida garante o mercado de provedores regionais

Internet mais rápida garante o mercado de provedores regionais

Internet mais rápida garante o mercado de provedores regionais

Conforme dados da Anatel, entre janeiro e maio, provedores pequenos firmaram quase 735 mil novos contratos

 

A pandemia causada pelo Covid-19 alterou as relações trabalhistas. Milhões de brasileiros passaram a trabalhar no modelo office, além das crianças que passaram a estudar em casa remotamente. A necessidade de ter uma internet mais rápida durante o isolamento social levou os consumidores a contratarem provedores regionais. 

De acordo com o assessor técnico da Gerência Regional da Anatel no Ceará, Wanderson Brito, num momento que a economia entrou em crise e os brasileiros tiveram que mudar seus hábitos, muitos provedores acabaram se especializando no atendimento de munícipios de pequeno e médio portes, que geralmente não são contemplados pelas grandes operadoras. 

 

Quase 35% do mercado de internet fixa 

Atualmente, o Brasil conta com 14 mil provedores regionais. Juntos, eles integram quase 35% do mercado da internet fixa no país. 

O publicitário e locutor Mário Wagner Sales Parente conta que sempre trabalhou muito com a internet no seu estúdio de gravação. No entanto, durante a pandemia, o trabalho de home office aumentou muito e ele precisou alterar sua internet para garantir maior fluxo e atender suas necessidades e as dos seus clientes. 

Pensando nisso, Mário acabou trocando o serviço de internet e buscou uma empresa menor, um provedor local chamado de internet de bairro. Pela redução de clientes, Mário obteve uma rede mais estável, com formato personalizado e sem travar muito. 

 

Banda larga, uma necessidade básica

No período de maior isolamento social, entre janeiro e maio, as pessoas passaram tiveram que estudar e trabalhar mais em casa. Assim, muitos brasileiros contrataram provedores regionais de internet banda larga. 

Os dados da Anatel apontam que os provedores regionais ganharam quase 735 mil novos contratos nesses meses. Isso equivale a um crescimento de 7% em relação ao ano passado. 

O perito forense computacional Emmanuel Noleto afirma que nos tempos de pandemia, sua família teve que dividir entre os momentos de trabalho e lazer sem sair de casa. Com isso, a internet tornou-se uma necessidade básica como luz, água e comida. 

Deixe uma resposta