fbpx

Gastos com cybersegurança vão aumentar em 10% em 2021

Gastos com cybersegurança

Gastos com cybersegurança vão aumentar em 10% em 2021

Em todo mundo, os gastos com cybersegurança devem aumentar em até 10% neste ano. Esse aumento é proporcional com o volume crescente de ataques e o surgimento de novos tipos de ameaças e vulnerabilidades.

Esses números foram previstos na última pesquisa trimestral da Canalys, empresa especializada em segurança global. O relatório aponta que, na melhor das hipóteses em 2021, os gastos mundiais poderão chegar até 61 bilhões de dólares em serviços e produtos nas seguintes áreas: segurança de rede, segurança de dados, segurança de endpoint, vulnerabilidade, análise de segurança, segurança de web e email e gerenciamento de acesso de identidades.

 

Recuperação global

A Canalys prevê que a primeira metade do ano ainda estará afetada pelas restrições de licenças e bloqueio, ainda em resposta à pandemia. Isso pode tornar mais resiliente o gasto com segurança cibernética, principalmente para as pequenas e médias empresas dos setores de varejo, hospitalidade e transporte.

A partir do início dos programas de vacinação contra a COVID-19, a Canalys estabelece um prazo para as economias se reabrirem, sustentando uma recuperação global a partir do meio do ano. No pior cenário, a empresa aponta que o crescimento de gastos anual será de 6,6%, caso a pandemia mantenha a maioria das empresas fechadas por períodos longos.

Com isso, as empresas vão precisar adaptar suas infraestruturas a novas configurações de trabalho e novas arquiteturas de nuvem, uma vez que as vulnerabilidades e ameaças potenciais estão se tornando cada vez mais urgentes.

 

Principais ameaças

Segundo o relatório da Canalys, os ataques de ransomware aumentaram em 60%, sendo que 12 bilhões de registros foram comprometidos de alguma forma, principalmente em razão do trabalho remoto de vários funcionários em todo mundo.

No entanto, a maior parte das ameaças são ainda desconhecidas. Por isso, é tão imprescindível o compromisso das empresas em aumentar seus gastos com segurança cibernética para mitigar ameaças emergentes.