fbpx

Criminosos exploram urgência da adequação à LGPD para extorquir empresas

Criminosos exploram urgência da adequação à LGPD para extorquir empresas

Quando se trata de ambientes digitais, a segurança das informações é um assunto que tem ganhado cada vez mais notoriedade. Neste sentido, com a necessidade de proteção aos dados, criou-se a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que veio para garantir segurança nos meios digitais. Com a essa lei, as organizações que não conseguirem manter os dados de seus usuários seguras poderão sofrer penalizações. As multas pela falta de proteção aos dados podem variar muito, com possibilidade de chegarem a valores que se aproximam de R$ 50 milhões.

 

Dado o grande valor das informações digitais, é muito comum diversos criminosos tentarem roubar dados de grandes empresas. Isso porque eles podem se aproveitar das pesadas multas aplicadas a quem deixou os dados vazarem para chantagear e pedir por altos valores no resgate de um banco de dados.

 

Recentemente houve um grande incidente de vazamento de informações no Brasil, que pode chegar a afetar mais de 200 milhões de pessoas. No entanto, no momento ainda não é possível afirmar qual é a real fonte dos dados pessoais que foram vazados e comercializados pelos criminosos.

 

Quando caem sobre a mão de pessoas má intencionadas, estas informações pessoais geralmente são utilizadas para fraudar contas bancárias digitais, cartões de crédito, pedidos de empréstimos, ou até mesmo fraudes mais sofisticadas, como personificação de altos executivos de empresas para obtenção das mais variadas vantagens.

Essa tendência aumenta o perigo dos ransomwares, que nada mais são do que uma espécie de software nocivo que faz com que o acesso ao sistema seja restringido por meio de um bloqueio e que cobra uma quantia de “resgate” para que o acesso à página possa retornar ao normal. Atualmente, uma nova vertente tem aparecido, os ransomwares 2.0. Eles têm se tornado cada vez mais comuns, e vão além de apenas restringir o acesso da máquina infectada. Os ransimwares 2.0 também roubam dados da máquina, podendo utilizar tal fato como barganha na hora de solicitar o valor de resgate. Com isso, até mesmo pessoas que possuem backup podem se complicar.

De acordo com pesquisas, mais de mil empresas tiveram suas informações vazadas por não pagarem o resgate para ransomwares no ano de 2020.

Sim!
Fale conosco!
Olá! Podemos te ajudar?