fbpx

Gestão de segurança digital, como estabelecer um processo adequado

gestão de segurança digital

Gestão de segurança digital, como estabelecer um processo adequado

Manter dados sensíveis em segurança, evitar ataques e ter segurança nas redes de qualquer empresa, é uma das funções primordiais da equipe de tecnologia. Neste sentido, é fundamental que a gestão de segurança digital seja completa e englobe o que há de mais moderno em termos de proteção. 

A gestão de segurança digital não envolve apenas softwares, antivírus ou um bom firewall. Ela envolve a educação dos usuários, processos de rotina bem estabelecidos, planos de contingência, caso haja algum ataque e eficiência em cada procedimento. 

No geral, a gestão de segurança digital é feita internamente, pela equipe de TI. Mas, em muitos casos, pode ser terceirizada.

Gestão de segurança digital, o que não pode faltar?

Dentro de um processo de gestão de segurança digital, há elementos que precisam estar constantemente ativados, para que ela seja eficiente. Separamos os principais para você!

1- Monitoramento

Suas redes precisam estar constantemente monitoradas. Desta forma, qualquer alteração de tráfego, ou atitude suspeita, que tenha passado pelas camadas de segurança, é detectado com mais facilidade. Com o monitoramento de redes, é possível aumentar o rendimento da estrutura e ainda prevenir ataques. 

2- Firewall específico para suas necessidades

Neste caso, estamos nos referindo ao firewall corporativo, também conhecido como periférico. Ele é uma das mais importantes camadas de proteção contra ataques e fundamental na gestão de segurança digital. 

Mas é fundamental que o firewall seja escolhido e configurado de acordo com as necessidades específicas de cada empresa. Deve-se analisar a forma como a rede é estruturada e seu funcionamento, para então escolher o melhor firewall. 

3- Sistema anti-DDoS é fundamental

Um bom sistema anti-DDoS é fundamental. Os ataques de negação de serviço (DDoS) são extremamente comuns e caso não sejam neutralizados rapidamente, podem trazer grandes prejuízos e perdas. Por isso, para evitar ataques DDoS, é fundamental contar com um sistema específico para esta necessidade. 

4- Melhorias constantes

As ameaças são constantes e crescentes. Por isso, a gestão de segurança digital precisa ser melhorada constantemente. Seja através de testes, melhorias na estrutura, treinamento de pessoal e a utilização de novas tecnologias. 

As empresa precisam de cuidado constante, para que suas informações estejam de fato em segurança. Caso contrário, é muito possível que com o passar do tempo, sua estrutura comece a ficar vulnerável, devido ao fato de que algumas tecnologias de proteção vão se tornando obsoletas. 

Boas práticas de gestão de segurança digital para sua empresa

O que apresentamos acima, são elementos que não podem faltar na gestão de segurança digital de sua empresa. Porém, há algumas práticas que quando implementadas, podem fazer com que sua empresa fique ainda mais segura. 

O primeiro ponto são as análises de vulnerabilidade. Quanto mais a sua rede for otimizada e analisada, mais facilmente serão detectadas as falhas, que podem comprometer a segurança. Isso é feito através de uma análise completa das redes e dispositivos, buscando encontrar possíveis falhas. 

Além das análises de vulnerabilidade, é fundamental que sua gestão de segurança digital também tenham outras práticas. Por exemplo, a análise de e-mails recebidos é fundamental. O e-mail é uma das fontes mais utilizadas por hackers para infectar dispositivos e acessar dados sigilosos. Por isso, analise sempre os e-mails recebidos e oriente a todos os funcionários da empresa que façam o mesmo. Ao menor sinal de anormalidade, não abra o conteúdo, que pode vir acompanhando de malwares, que poderão se infiltrar no dispositivo.

Outra prática fundamental é o Backup. Todas as empresas (e até pessoas físicas também) devem adotar o backup como medida de proteção aos dados. Isso porque, caso aconteça alguma invasão e as informações da empresa sejam apagadas, será possível

recuperá-las. Isso reduz o impacto do prejuízo que seria perder os dados da organização.

O armazenamento de informações na rede também faz parte dos processos de gestão de segurança de redes.  Armazenar as informações da sua empresa em uma rede compartilhada — a famosa nuvem — também é considerada uma boa prática e evita que dados sejam vazados. Esse procedimento evita o compartilhamento de dados por dispositivos removíveis, como pendrive ou até mesmo o e-mail. Dessa forma, somente pessoas autorizadas têm acesso à informação.

Toda gestão de segurança digital também precisa de uma Política de Segurança de Dados. 

É importante que a empresa tenha um documento com as diretrizes que norteiam o comportamento que os colaboradores precisam ter em relação ao acesso aos recursos relacionados à Tecnologia da Informação. O documento deve conter todas as regras para evitar um ciberataque, que pode resultar em vazamento de informações ou fraudes.

Os usuários também precisam ser treinados, para que  eles estejam de acordo com a Política de Segurança de Dados da instituição. Portanto, não basta apenas entregar o documento com as informações. É importante garantir que todo o conteúdo será assimilado e que não existem dúvidas sobre processos que devem ser seguidos para garantir a segurança dos dados da empresa. 

Estas práticas, quando integradas a gestão de segurança digital, fazem com que sua empresa não esteja vulnerável a ataques e perda de dados sensíveis. 

Nós, da Everest Ridge, podemos oferecer para sua empresa, todos estes processos e otimizar suas redes, de forma excelente. Entre em contato conosco para solicitar uma proposta. 

Deixe uma resposta